Ao observar bem a tônica dada os portfólios de muitas empresas de treinamento e desenvolvimento empresarial encontrará uma componente bem particular considerada em nossos dias como um dos fatores fundamentais para o desenvolvimento de negócios e pessoas: a conectividade (mídias digitais) sendo considerada como canal estratégico de negócios.

A conectividade, filha do avanço tecnológico e da globalização, ganhou o status de ação estratégica nas organizações contemporâneas. Nos anos 90 era muito comum vermos nos planejamentos estratégicos das empresas os budgets anuais de marketing serem dispensados para feiras, anuários, revistas, simpósios, convenções etc… Ao procurar por investimentos em mídias digitais, naquele momento, seria difícil encontrar no planejamento estratégico da organização uma verba destinada para esta finalidade. Caso encontrasse seria interpretada quase que como uma ação secundária, ou não prioritária.

Tudo mudou radicalmente. Atualmente é considerada uma exigência mínima para qualquer organização, que tenha pretensões de crescimento, considerar as mídias digitais como importantes canais de vendas, marketing e diálogo com consumidores. Os budgets para investimentos nestes canais já fazem parte do planejamento estratégico da maioria das empresas.

A conectividade não aproxima somente pessoas de pessoas, mas pessoas de negócios e, também, negócios de negócios. Pelo que se entende de tendência estratégica empresarial, a conectividade entrou no cenário definitivamente. Basta a verificação de que somente no primeiro semestre de 2017 o e-commerce brasileiro faturou aproximadamente R$ 21 bilhões e com um crescimento previsto para o ano de 15 %. Fazer negócios através de canais digitais é uma tendência irrefreável e esta tendência gestou toda uma cultura empresarial digital nos últimos anos.

Impactos na Cultura do Treinamento Empresarial

O impacto que o correto uso de mídias digitais pode provocar nas organizações é tão abrangente que a própria formação de profissionais e treinamentos diversos para colaboradores estão sendo realizados cada vez mais digitalmente. No passado se a organização necessitasse de uma determinada expertise de um de seus profissionais e não o encontrasse pronto no mercado a única solução seria investir na sua formação, enviando-o para as academias, universidades ou cursos profissionalizantes de média ou longa duração, dependendo do conhecimento demandado.

O Treinamento in Company veio para, na época, trazer uma alternativa a estas ações caras e que tomavam tempo das organizações, mas ainda com uma série de limitações, por ser uma atividade não regulamentada, e raras as academias e universidades que dispunham em seus portfólios da capacitação out-sourcing. Em resumo ou ia-se até a escola ou partia-se para uma solução não regulamentada.

A conectividade resolveu esta questão rapidamente e com um implemento de qualidade extraordinário. A formação de profissionais, sendo realizada através do E-learning (do inglês “aprendizado eletrônico”) ou EAD (Educação à Distância) promove a capacitação profissional com os colaboradores dentro da empresa. Pode ainda ser realizada por temas específicos, com suporte de organizações educacionais tradicionais, pois hoje muitas das escolas e universidades têm seus portfólios adequados ao E-learning e com certificação regulamentada. O ganho de tempo com um investimento menor e com a seletividade proporcionada pelos portfólios disponíveis resolveram esta questão plenamente e com qualidade.

Pode-se encontrar no formato E-learning materiais complexos como um Curso de Gestão de Pessoas até materiais menos complexos como cursos e treinamentos para recepção, portaria, organização, limpeza, pequenas manutenções etc..

Impactos no Comportamento Consumidor

O impacto da conectividade no comportamento do consumidor é maior a cada dia. Pessoas não procuram a rede motivadas somente pelo conforto de fazerem compras sem sair de casa ou descobrirem um curso disponível on-line, mas sobretudo estão em busca de opções, se estas opções forem on-line melhor ainda, mas o que de fato as pessoas procuram o tempo todo é por opções.

No passado esta busca tomava tempo e nem sempre eram fáceis, pois o que agrada a um pode não agradar ao outro. Nem sempre as boas indicações eram interpretadas tão boas por quem às recebiam. As mídias disponíveis para divulgação eram segmentadas por nichos. A TV era orientada somente para as grandes companhias que conseguiam pagar os elevados custos de propaganda televisiva. Enfim, a busca por opções exigia tempo e paciência.

A conectividade mudou tudo. Não há nichos na rede. Agora há a palavra-chave. Se você procura pela compra de um sapato personalizado, basta acessar a rede e digitar a palavra-chave “sapato personalizado”. Tudo o que você imagina que possa existir relacionado ao sapato personalizado estará à sua disposição em 1 segundo.

As opções para escolha do consumidor, agora, são virtualmente inesgotáveis. Preços, modelos, materiais, disponibilidade, personalização etc… Tudo à distância de um click. Claro que se o consumidor encontrar uma opção de loja virtual para o produto que ele escolheu, estará no paraíso. Encontrou a opção desejada e ainda entregue no seu endereço.

O consumidor tornou-se mais exigente como consequência da enorme disponibilidade de opções.

A organização que investe em mídias digitais tem de ser um primor em apresentação e outras técnicas para prender o interesse do consumidor em sua proposta comercial. O suporte de profissionais habilitados é importante para o sucesso desta estratégia de negócios.

Enfim a conectividade está mudando tudo. Relacionamentos, negócios, cultura, hábitos etc.. Não sabemos o que ainda virá como desenvolvimento da rede e de outras possibilidades que a tecnologia poderá proporcionar porém uma verdade é irrevogável, pessoas e organizações estarão cada vez mais conectadas.

 

Este é um guest post e todas as informações e dados citados são de responsabilidade da Trainer Br.